De Relance – um poema de René Char

charfeu1

René Char

Semeio com minhas mãos,

Planto com os meus rins;

É muda a chuva fina.

 

Numa estrada estreita,

Escrevo o meu segredo.

Não é meia noite quem quer

 

O eco é meu vizinho,

A bruma, a minha sequência.

(Tradução de Margarida Vale Gato)

 

Anúncios